Hey, Yuuko!
Animações

[Crítica] Your Name

[Crítica] Your Name

Este texto não contém spoilers.

Normalmente nessa parte do texto eu explico como cheguei ao anime ou a primeira impressão que tive dele antes de assisti-lo. Mas desta vez foi diferente, eu simplesmente abri a Netflix, li a sinopse e assisti o filme. Quando o meu “normal” seria ver reviews, assistir trailers e fazer algumas pesquisas sobre o que estou assistindo antes mesmo de dar play. Talvez eu finalmente esteja aprendendo a usar a Netflix como uma pessoa normal? Talvez. ¯\_(ツ)_/¯

Your Name (Kimi no na wa) parecia ser um clichê como a sinopse sugere, uma garota Mitsuha, que mora em um vilarejo e gostaria de morar em uma cidade grande troca de corpo (por digamos, uma semana) com um garoto, Taki que mora em Tóquio que não sabe muito o que quer da vida. E então eles ficam com os corpos trocados e pelas péssimas experiências da troca, eles passam a admirar suas como elas, certo? ERRADO!

As trocas entre os dois é quase inconstante. Em algum momento Taki, relata que acontecem três vezes por semana. Mitsuha e Taki demoram um certo tempo para entender o que está acontecendo. Mas eles ao poucos tomam conhecimento um do outro, começam a se preparem para as trocas e até mesmo estabelecem regras entre si. É claro, as trocas tem um óbvio teor cômico relacionado a parte sexual de seus corpos trocados, mas é tudo sempre bem leve, ao maior estilo japonês.

O enredo nem te dá o tempo de moldar em sua cabeça uma bela e tranquila história, de dois adolescentes que irão encontrar e viver felizes. Antes da primeira hora do filme, fui pego de surpresa por plot-twist que me fez ter absoluta certeza que o filme se tratava de um thriller psicológico. Mas não, filme não muda tão drasticamente assim. Sem dar muitos detalhes, o cometa Tiamat obviamente tem um papel importante na trama. E aos poucos é moldado um clima de aventura no filme.

A “interação intangível” entre Mitsuha e Taki é uma das melhores coisas no filme. As complicações em ter que se adequar a vida do outro contraposto com a experiência de se viver uma vida completamente nova. Tendo de interagir com uma família e amigos totalmente estranhos. E os personagens que circundam os dois, desenvolvem papeis importantes, muito mais do que poderia se esperar. Eles não estão ali somente para dizer como eles ficam estranhos quando as trocas acontecem. Eles proporcionam até um checkpoint para um melhor entendimento da ordem dos eventos, que seria difícil somente pelo ponto de vista de Mitsuha e Taki.

Uma das características mais marcantes de Your Name é a visual. É comum notar que os animes longas-metragens normalmente tem uma qualidade visual acima da média dos animes semanais. Isso por questões óbvias de tempo de produção e investimento. Mas Your Name é de encher os olhos, as paisagens sejam urbanas ou da natureza são belíssimas. Detalhes mínimos como o reflexo do vidro de um carro são perceptíveis no filme.

Your Name pode parecer uma história meramente juvenil, com um enredo clichê. Para quem não tem a sensibilidade de entender o peso das decisões dos personagens, pode até ser. No fim das contas Your Name é uma história de destino versus livre-arbítrio. Se o que está para acontecer, acontecerá ou se é possível, com muito esforço, mudar o seu destino. Your Name teve a sensibilidade dramática de desenvolver esse “debate” enquanto você assiste uma história sobre adolescentes. Não atoa, pois justamente em nossa juventude, onde nossas decisões sobre estudos, carreira e relacionamentos irão implacavelmente moldar nosso destino.

Disponível via streaming na Netflix.

The Review

94%

100%
100%
90%
100%
80%
Isaque Faverani

Isaque Faverani é um alquimista do plano de Ravnica. O seu cérebro é um turbilhão de ideias e informações, devido a sua mana de cor azul incontrolável. Por isso, ele mergulha irracionalmente em diversos conteúdos da cultura pop. Apesar de seus problemas com sua concentração, ultimamente está focado em games, animes, séries e quadrinhos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *