Hey, Yuuko!
Cultura

Dia Internacional da Mulher

A sua importãncia para as mulheres

Como conhecido, dia 08 de março é comemorado o Dia Internacional da Mulher, porém, pouco é divulgado sobre a escolha do dia (sinceramente, não lembro nem de ser explicado isso na escola). Uma das versões que é dada como explicação é que no dia 08 de março de 1857 ocorreu um incêndio nas instalações de uma fábrica têxtil em Nova York, morrendo 129 operárias carbonizadas. O proprietário da fábrica teria trancado as funcionárias e ateado fogo contra elas, como uma forma de repressão extrema devido as greves e levantes feitos pelas operarias, porém, essa história é falsa. Ocorreu sim um incêndio em uma fábrica de tecidos em NY, porém ela foi no dia 25 de março de 1911, tendo como vitimas 125 mulheres e 21 homens. A causa desse incêndio foram as péssimas instalações da fabrica junto com a grande quantidade de tecido, que serviu pra “espalhar” o fogo pelo local. Mesmo não sendo o motivo do início da comemoração do dia internacional da mulher, esse acidente não foi deixado em branco, pois foi usado como incentivo a greves e motins, já que os funcionários não conseguiram fugir pois as portas estavam trancadas.

O Dia Internacional das Mulheres já era discutido antes desse acidente. No ano anterior, em 1910, ocorreu o II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas. Lá, a membra do Partido Comunista Alemão, Clara Zetkin, propôs a criação do Dia Internacional das Mulheres, porém nenhum dia foi estipulado. Essa proposta foi importante para o movimento feminista, que despontava nessa época.

No dia 08 de março de 1917,  na Russia, as trabalhadoras do setor de tecelagem entraram em greve e reivindicaram a ajuda dos operários do setor da metalúrgica.  Essa data entrou para a história pelo grande feito das mulheres operárias e também anunciava a Revolução Bolchevique. Após a Segunda Guerra Mundial, o dia 08 de março foi se tornando aos poucos um simbolo de homenagens as mulheres, devido a greve das trabalhadoras russas. O mês também foi levado em consideração ao acidente da fabrica em Nova York.

O Dia Internacional das Mulheres foi uma vitória para o movimento feminista e para as mulheres em si. Afinal, como eu já disse aqui, o movimento feminista e os direitos das mulheres são importantes para todas nós. O dia 08 de março foi feito pra reafirmar a importância deles e relembrar de toda a luta, vitória feitas por todas as mulheres.

Nós amamos as heroínas dos HQs, games, filmes, séries, animes e mangás, porém acabamos esquecendo das heroínas do mundo real. Além das mulheres incríveis que nos cercam no dia a dia, certas mulheres marcaram a nossa história, com feitos ou invenções. Mulheres que eu vou citar algumas aqui, que são incríveis e que merecem ser admiradas.

Cleópatra foi a última rainha da dinastia ptolomaica que dominou o Egito antes da Grécia dominar o país. Ela era uma grande negociante, estrategista militar, falava seis idiomas, tinha conhecimentos de filosofia, literatura, artes gregas e matemática, e isso encantava aos homens, além da sua conhecida beleza. Ela vai além da sua história de amor com Julio César e Marco Antônio, ela foi uma rainha importante para a história do Egito.

 


Joana D’Arc foi chefe militar na Guerra dos 100 Anos e é considerada uma das maiores heroínas da história da França. Ela era uma garota pobre e analfabeta quando decidiu salvar a França. Ela foi queimada viva pelos Borguinhões e depois foi canonizada.

 

 


Princesa Isabel foi a filha de D. Pedro II e foi a responsável pela assinatura da Lei Áurea, que aboliu a escravidão no Brasil, no dia 13 de maio de 1888. Antes disso ela assinou a Lei do Ventre Livre, em 1871, que dava liberdade aos filhos de escravos a partir daquela data.

 

 

 


Madre Teresa de Calcutá foi professora de meninas de alta classe antes de dedicar a vida a salvar aos pobres. Ela foi Missionária da Caridade, levando ajuda para lugares muito pobres, como Calcutá, na Índia. Foi criticada por alguns membros da igreja por sua posição sobre controle de natalidade, aborto e contracepção.

 

 

 


Malala Yousafzai é conhecida pelo seu ativismo a favor do direitos humanos, especialmente femininos. Ela mora no noroeste do Paquistão, um país muito conservador, onde as mulheres são criadas para que fiquem em casa e cuide dos seus filhos, lá a metade das meninas não frequentam a escola. Em 2008, um líder talibã emitiu uma determinação exigindo que todas as escolas interrompessem as aulas dadas às meninas por um mês. Na época, ela tinha 11 anos. Seu pai, que era dono da escola onde ela estudava, e sempre incentivou sua educação, pediu ajuda aos militares locais para permanecer dando aulas às meninas. Nessa época, um jornalista do BBC perguntou ao pai de Malala se alguns jovens queriam escrever sobre a situação. Nisso a paquistanesa viu a oportunidade de escrever o que via e sentia, no blog “Diário de Uma Estudante Paquistanesa”. Os posts duraram apenas alguns meses, porém renderam entrevistas e até um documentário. Foi indicada ao prêmio Nobel da Paz, não ganhando, porém sendo a pessoa mais nova a ser laureada com o mesmo prêmio em 2013. Chegou a sofrer um ataque em outubro de 2009, porém continua com a luta pelos direitos civis.

Esse foi apenas um resumo sobre essas mulheres fascinantes, e é claro que elas são apenas algumas. Espero que elas te inspirem e que os atos delas não tenham sido em vão.

Suaian

Suaian é uma menina tão confusa quanto o seu nome, é apaixonada por mitologias e sagas literárias. Viciada em cultura pop, tenta acompanhar o máximo sobre moda, música, séries, filmes e livros e é designer nas horas vagas. Adepta do #GirlPower

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *